mp3 Documentos Curso Video mapa
Volta

MATTŌSHŌ 1 - 7

Cartas de Shinran
1) De fato, Shakyamuni disse, com alegria, que a pessoa de Mente Confiante é seu bom amigo. Podemos dizer que esta pessoa de Mente Confiante é o verdadeiro discípulo do Buda. Aquele que tem a Mente Correta já foi abraçado, nunca será abandonado e possui a Mente Adamantina. (Carta 2, p.29)

2) Assim, Shinjin e Nembutsu parecem ser dois, mas Shinjin é o mesmo que ouvir e não duvidar que somos salvos pelo simples ato de recitar o Nome. Portanto, não há Shinjin separado do Nembutsu. Esta é a minha compreensão do ensinamento. Você deve saber ainda que não há Nembutsu separado do Shinjin. Devemos compreender que ambos nascem do Voto de Amida. Isto é, o Nembutsu e o Shinjin vêm ambos do Voto Original. (Carta 11, p.58)

3) Mesmo que se tenha Shinjin, se não se recita o Nome, não há sentido algum. Além disso, ainda que se recite o Nome exclusivamente, se Shinjin não estiver firmemente estabelecido, o Nascimento na Terra Pura não está assegurado. Por isso, quem confia profundamente em “nascer na Terra Pura através do Nembutsu” e recita o Nome, terá sempre seu Nascimento assegurado na Terra Pura da Recompensa.” (Carta 12, p.60)

4) Afirmar, baseando-se na ideia do Poder Próprio, que se é equivalente aos Tatāgatas é um grande erro. É através do Shinjin do Outro Poder que você se alegra. Então esse sentimento de alegria não tem relação alguma com o Poder Próprio.” (Carta 15, p.80)

5) Quando recitamos o Nembutsu durante muitos anos com a aspiração de nascer na Terra Pura, começamos a perceber os males que cometemos e o coração vai se transformando. Passamos então a sentir uma profunda afeição para com os amigos e demais companheiros de Caminho. Este, sim, é o sinal de que estamos nos desapegando deste mundo. Você deve compreender bem isto. (Carta 19, p.94)

6) Com pretexto de que somos por natureza seres tomados por paixões cegas, vocês sustentam que podemos deixar-nos levar por impulsos e seguir nossos instintos. Assim, deixam que façam o que não deveriam fazer, que falem o que não deveriam falar e que pensem o que não deveriam pensar. Que lástima! Isso é como dar mais bebida àquele que ainda está embriagado, oferecendo mais veneno a quem ainda está sob o seu efeito. Nunca se deve recomendar que se tome o veneno porque existe o antídoto. (Carta 20, p.99)

7) Aqueles cujo nascimento está já assegurado, ao refletirem sobre a bondade do Buda, devem recitar o Nembutsu do fundo do coração para agradecer essa bondade, fazendo votos para que realmente haja paz no mundo e o Darma se propague cada vez mais. (Carta 25)


Carta 1: "Sobre o Pensar e o Não Pensar"
O Budismo Shin, a conclusão do Budismo Mahayana, se alicerça no Voto Original do Buda Amida, o qual se atualiza aqui e agora no ser humano a fim de efetivar a suprema Iluminação. Esta atividade do Voto, depois de aceita por nós, torna-se a Mente Confiante (Fé). O Budismo Shin não se apoia no ensinamento tradicional do Budismo da Terra Pura que enfatiza a "salvação no momento da morte" como resultado dos méritos acumulados através de práticas.

A idéia de Amida vir no momento da morte é para os que buscam atingir o Nascimento na Terra Pura por meio das práticas miscelâneas que executam, pois esses são praticantes do poder próprio. A salvação no momento da morte é preocupação para tais praticantes, porque ainda não atingiram a Verdadeira Fé. A mesma idéia de Amida vir no momento da morte podemos ver presente no caso do praticante que, apesar de ter cometido as dez males e as cinco faltas graves, encontra um mestre na hora de sua morte e é levado a pronunciar o Nembutsu.

Como a pessoa que atinge a verdadeira Fé já é abraçada na Luz de Amida, para nunca mais ser abandonada, essa pessoa se encontra no Estado Definitivo para o Nascimento. Portanto, não há necessidade de esperar a salvação no momento da morte, nem tampouco de contar com a vinda de Amida. No instante em que a Fé se estabiliza, o Nascimento também se determina; não há necessidade de se executar os ritos de leito de morte a fim de preparar o moribundo para a vinda de Amida.

"Mente correta" se refere, portanto, ao estabelecimento da Fé Alegre do Voto Original. Por ter recebido a Fé, essa pessoa certamente atinge o supremo Nirvana. A Fé é Mente Una; Mente Una é Mente Adamantina; Mente Adamantina é Mente de Bodhi; essa é aceitação genuína do Outro Poder.

Além destes, há dois outros tipos de "mente correta": uma é dos seguidores que fazem práticas meditativas e outra, dos que fazem práticas não-meditativas. Estas se referem a "mente correta" dos seguidores que praticam pelo poder próprio o ensinamento do Outro Poder. Os termos "bem meditativo" e "bem não-meditativo" aludem ao Nascimento que se dá através de práticas miscelâneas e indicam as boas práticas que os seguidores executam pelo poder próprio, mesmo seguindo ao ensinamento do Outro Poder. Sem aguardar a vinda de Amida, tais praticantes do poder próprio não nascem até na Terra Fronteiriça, nem no Estado Embrionário, nem no Reino da Satisfação Indolente. Foi por isso que Amida criou o décimo nono Voto, prometendo surgir no momento da morte para acolher os que desejam atingir o Nascimento por meio de transferirem para a Terra Pura os seus méritos acumulados. Assim, o momento da morte que antecede o Nascimento mediado pela vinda de Amida é motivo de preocupação, em particular, para os adeptos das práticas meditativas e não-meditativas.

A Fé do Voto Original escolhido por Amida não tem relação com o "pensar" ou com o "não-pensar". O "pensar" refere-se à meditação sobre a cor e forma de um objeto; o "não-pensar" significa não conceber forma e não visualizar cor alguma, de modo que não se produza qualquer pensamento. Ambos ensinamentos pertencem à Senda dos Sábios. Esta contém ensinamentos os quais aqueles que já atingiram o Estado de Buda pregam a fim de nos encorajar; incluem-se aí seitas como Busshin, Shingon, Tendai, Kegon e Sanron, tidas como o mais elevado estágio do Mahayana. A seita Busshin é seita Zen que se encontra agora em expansão. Há também os ensinamentos provisórios do Mahayana e do Hinayana, tais como as seitas Hosso, Jojitsu e Kusha. Todos estes s ão ensinamentos da Senda dos Sábios. Os "ensinamentos provisórios" são preparados por Budas e bodhisattvas que se manifestam temporariamente em várias formas, depois de terem atingido o Estado de Buda; é esse o significado da palavra "(ensinamento) provisório".

O ensinamento da Terra Pura também abrange as práticas de "pensar" e de "não-pensar", embora aqui "pensar" refere-se ao bem não-meditativo e "não-pensar" ao bem meditativo. O "não-pensar" no ensinamento da Terra Pura, portanto, é bastante diferente daquele da Senda dos Sábios. O "não-pensar" da mesma Senda também inclui às vezes um aspecto do "não-pensar". Por favor, peçam que alguém lhes explique mais detalhadamente sobre essa questão.

No ensinamento da Terra Pura há dois aspectos: verdadeiro e provisório. O ensinamento verdadeiro é o Voto Original especialmente escolhido por Amida. O provisório expõe o bem das práticas meditativas e das práticas não-meditativas. O Voto Original é a essência do verdadeiro ensinamento da Terra Pura (Budismo Shin). As práticas meditativas e não-meditativas são caminhos provisórios que conduzem ao ensinamento verdadeiro. O Budismo Shin é o auge do Budismo Mahayana. Os caminhos provisórios incluem os outros ensinamentos do Mahayana e do Hinayana, o temporário e o real. O número dos mestres de Sakyamuni numa vida em sua reencarnação é cento e dez, segundo o Sutra da Grinalda.

Namo-amida-butsu.

Kencho 3 (1251)
Nono intercalado mês, vigésimo dia

Gutoku Shinran
aos 79 anos de idade.


volta para top

Carta 2 - "O Outro Poder e o Poder Próprio"
Nesta carta Shinran define os termos "Outro Poder" e "poder próprio". Outro Poder é o poder de salvação de Amida, que é o Buda da Luz Infinita da Sabedoria e Compaixão. A finalidade fundamental de Amida é salvar as pessoas tomadas pelas paixões cegas e pelo mau carma. O recebedor dessa salvação, conhecido como myokonin "pessoa maravilhosa e excelente", atinge o Estado Definitivo para o Nascimento e dela se diz ser igualável ao Maitreya. Poder próprio é o esforço restrito da gente, contaminado pelas paixões cegas.

Resposta à Pergunta dos Seguidores do Nembutsu de Kasama

De acordo com o Budismo Shin, há dois tipos de pessoas que buscam o Nascimento na Terra Pura: os do Outro Poder e os do poder próprio. A distinção tinha se feito pelos mestres da índia e pelos patriarcas da Escola da Terra Pura. Poder próprio é o esforço para se atingir o Nascimento, invocando nomes de outros Budas ou praticando bons atos miscelâneos, de acordo com circunstâncias de cada pessoa; é o esforço de controlar seus próprios atos, palavras e pensamentos, com confiança em si próprio.

No Outro Poder, as pessoas confiam no Décimo Oitavo dentre os Votos do Tathagata Amida; este Voto foi especialmente escolhido por Amida e se chama do Voto Original do Nacimento através do Nembutsu. Como o Outro Poder vem do Voto Original de Amida, o Mestre Honen disse, "Não termos intenção humana está de acordo com a intenção de Amida". A 'intenção' é um termo que significa desígnio (dos aspirantes ao Nascimento); já que este desígnio é baseado no poder próprio, chama-se da intenção humana.

Como, no Outro Poder, as pessoas confiam no Voto Original com alegria e o seu Nascimento está definitivamente assegurado, não é mais implicada a intenção humana. Assim, você não deve ficar ansioso pensando que o Tathagata não irá recebê-lo porque você é mau. A pessoa comum é, por natureza, tomada por paixões cegas. Portanto, você deve reconhecer-se a si mesmo como uma pessoa má. E você não deve achar que merece atingir o Nascimento porque você tem bom coração. Não lhe é possível atingir o Nascimento na Verdadeira Terra da Recompensa através desse calculismo típico do poder próprio. Aprendi que com a fé baseada no poder próprio a pessoa poderá atingir nascimento apenas no Reino da Satisfação Indolente, na Terra Fronteiriça, no Estado Embrionário ou no Castelo da Dúvida. Através da efetivação do Décimo Oitavo Voto Original, o Bodhisattva Dharmākara se tornou o Tathagata Amida e o seu benefício inconcebível chega a transcender todos os limites. A fim de expressá-lo, o Bodhisattva Vasubandhu usa o epíteto, "o Tathagata da Luz Livre de Impedimentos brilhando nas dez direções." Devemos estar cientes, portanto, de que o nascimento está garantido a todos os seres, sem haver qualquer distinção entre pessoas boas ou más, e independentemente do fato de se ter paixões cegas.

Ao descrever o modo de se confiar no Nembutsu do Voto Original, Genshin, Mestre de Eshin-in, afirma na sua obra Fundamentos para se Atingir o Nascimento: "Para recitar o Nembutsu, não importa se você está andando, está parado em pé, sentado, ou deitado, nem tampouco há que se escolher hora, local ou outras circunstâncias." Ele afirma claramente que aquele que atingiu a Verdadeira Fé já foi abraçado pela Luz do Buda Amida. Assim, como o Tathagata Sakyamuni ensinou, no exato momento em que nós, tomados por paixões cegas, nascemos na Terra Pura do Sereno Sustento, atingimos a suprema Iluminação de Buda.

No entanto, é bastante raro que pessoas deste mundo corrupto das cinco máculas abracem o ensinamento do Buda Sakyamuni. Por essa razão, todos os Budas nos dez pontos cardeais, numerosos como as areias do Rio Ganges, passaram a testemunhar o fato de se adquirir o Nascimento através do Nembutsu. Shan-tao explica que, Sakyamuni, Amida e os Budas nos dez pontos cardeais, tendo o mesmo coração compassivo, não estão afastados da pessoa do Nembutsu, assim como as sombras, não das coisas. De fato, Sakyamuni diz, com alegria, que a pessoa de Fé é meu bom amigo. Podemos dizer que esta pessoa de Fé é o verdadeiro discípulo do Buda; é aquele que tem a Mente Correta; como ele já é abraçado e nunca abandonado, possui a Mente Adamantina. Shan-tao o denomina "o melhor dentre os melhores", "pessoa excelente", "pessoa maravilha e excelente", "pessoa suprema" e "pessoa raríssima".

Tal pessoa firma-se no Estado Definitivo para o Nascimento e, portanto, podemos dizer que é igual ao Buda Maitreya. Isto significa que uma vez tendo atingido a Verdadeira Fé, sem falta ela irá nascer na Terra Pura. Você sabe que essa Fé é concedida através dos meios compassivos de Sakyamuni, Amida e de todos os outros Budas nos dez pontos cardeais.

Portanto você não deve desmerecer os ensinamentos de outros Budas ou as pessoas que executam atos bons que não sejam o Nembutsu. Nem tampouco deve odiar e caluniar aqueles que detestam e desprezam a pessoa de Nembutsu; pelo contrário, você deve ter piedade e compaixão deles. Foi este o ensinamento de Honen.

Cordialmente. Devemos imensamente a Amida, pelo fato de que até o nascimento no Reino da Preguiça e Orgulho, na Terra Fronteiriça, no Castelo da Dúvida ou no Palácio-Úero, é realizado apenas pela Compaixão de Amida expressa nos Votos Décimo-nono e Vigésimo. Graças à Compaixão, teremos a felicidade que ultrapassa nossa compreensão. A extensão da Benevolência de Amida é sem limite. Assim, ainda mais devemos perceber e agradecer a Benevolência de Amida por nascermos na Verdadeira Terra da Recompensa e atingirmos o Grande Nirvana. Esta não é opinião arbitrária de Shoshinbo nem de Shinran --- absolutamente não.

Kensho 7 (1255)
décimo mês, terceiro dia

Gutoku Shinran
escrito aos 83 anos de idade


volta para top

Carta 3 - "A Suprema Iluminação"
A pessoa que tem a Fé Verdadeira vive no Estado Definitivo para o Nascimento. Descreve-se que esse estado é equivalente ao dos Budas e ao de Maitreya. Encontramos o mesmo ensinamento nas cartas números 4, 7, 15 e 18, o qual Shinran desejava legar a seus seguidores nos últimos anos de vida. Shoshin, mencionado também no final da carta número 2 e destinatário da presente, foi um dos mais influentes discípulos de Shinran.

A pessoa de Fé permanece certamente no Estado Definitivo para o Nascimento, e o estado também se chama de Estado Equivalente à Iluminação. O Sutra sobre o Buda de Vida Infinita (Sutra Maior) afirma que a pessoa abraçada por Amida, nunca abandonada, está no Estado Definitivo para o Nascimento, enquanto que no Sutra sobre o Tathagata da Vida Imensurável dela se diz estar no Estado Equivalente à Perfeita Iluminação. Embora sejam distintos os dois termos: "Definitivo para o Nascimento" e "Equivalente à Perfeita Iluminação", têm o mesmo sentido e referem-se ao mesmo estado. O Estado Equivalente à Perfeita Iluminação é o mesmo estado daquele de Maitreya, o qual se tornará Buda na sua próxima vida. Já que a pessoa de Fé está destinada a atingir a Suprema Iluminação, dela se diz ser igual a Maitreya.

Ora, no Sutra Maior se descreve "o estado próximo à Iluminação, como aquele de Maitreya". Uma vez que Maitreya já está perto da Budeidade, em várias escolas referem-se a ele geralmente como o Buda Maitreya. Já que a pessoa no Estado Definitivo para o Nascimento é igual a Maitreya, dela também se diz ser equivalente aos Tathagatas. Você deve entender que a pessoa da Verdadeira Fé pode ser assim chamada porque, mesmo que seja impura e continue gerando carma maléfico, sua mente já está à altura da mente dos Tathagatas.

Uma vez que já é fato determinado que Maitreya atingirá a Suprema Iluminação, empregamos a expressão "Alvorada das Três Assembléias" (depois de atingir a Iluminação, ele fará três pregações). A pessoa da Verdadeira Fé deve compreender isso. No Hino de Meditação na Presença dos Budas, Shan-tao, o Mestre do Templo Kuang-ming, explica que a pessoa de Fé já e sempre habita na Terra Pura. "Habitar" significa que o coração da pessoa de Fé está sempre na Terra Pura. Isso é o mesmo que dizer que ela é igual à Maitreya. Uma vez que o Estado Equivalente à Iluminação é o estado de ser igual a Maitreya, a pessoa de Fé é equivalente aos Tathagatas.

No décimo dia do décimo mês do primeiro ano,
período Shoka (1257)

Shinran
A Shoshin-bo


volta para top

Carta 4 - "A Equivalência aos Budas"
Nesta carta Shinran cita passagens de sutras que ensinam que a pessoa de Fé é equivalente aos Tathagatas. A carta foi escrita para Shinbutsu no mesmo dia que a carta número 3 cujo conteúdo é semelhante. Shinbutsu foi o principal discípulo e o mais bem-versado nas escrituras.Em sua carta você pergunta a respeito da passagem do sutra que declara: "Aquele que atinge a Fé e Alegria é equivalente aos Tathagatas." Esta encontra-se no Sutra da Guirlanda e significa que a pessoa que alegra-se em Fé é igual/equivalente a todos os Tathagatas. Isto também foi indicado na seguinte palavra de Sakyamuni sobre os que realizam a Fé e regozijam-se imensamente: "Aqueles que vêem e reverenciam o Dharma e atingem grande alegria são meus verdadeiros companheiros."

Ademais, o décimo sétimo Voto de Amida declara que se aqueles que recitam o Nome não forem louvados por todos os incontáveis Budas das dez direções, Ele (Dharmākara) não obterá a perfeita Iluminação.* A passagem referente ao cumprimento do Voto afirma que tais pessoas são aclamadas por todos os Budas e regozijam-se.

Você não deve ter a menor sombra de dúvida sobre essa questão. Assim, registrei acima as passagens a respeito de ser equivalente aos Tathagatas.

No décimo dia do décimo mês do primeiro ano,
período Shoka (1257),

Shinran
A Shinbutsu-bo

* Décimo Sétimo Voto: Quando Eu tiver obtido o Estado de Buda, os imensuráveis Budas nos mundos das dez direções recitarão e louvarão o meu Nome. Se, entretanto, isso não ocorrer, não atingirei Eu à Perfeita Iluminação.

volta para top

Carta 5 - "A Realidade Essencial"
"Jinen" é um termo empregado por Shinran com um sentido específico para expressar a verdade fundamental e a suprema realidade, tradicionalmente conhecida por Realidade (tathatā), Realidade Essencial, Nirvana, etc. Manifesta-se na pessoa em que todo e qualquer resíduo de calculismo egocêntrico já desapareceu. "Jinen" é realizado completamente na suprema Iluminação. Assim, "no Outro Poder a ausência de intenção é a verdadeira intenção". Este é um registro das palavras de Shinran, feito por Kenchi em 1258, e editado mais tarde como parte das cartas (Mattosho).

Sobre "Jinen-honi". Com respeito à "Jinen", "ji" quer dizer "naturalmente" --- sem o calculismo por parte do praticante (do Nembutsu). "Nen" significa "é tornado assim" --- não acontece através do calculismo do praticante, mas conforme à ação do Voto do Tathagata; portanto "naturalmente". Quanto a "Honi", este quer dizer: "a pessoa é levada a se tornar assim pela ação do Voto do Tathagata. "Honi" significa que a pessoa é lavada a tornar-se assim (ni) pela virtude desse Dharma (ho), através da ação do Voto, livre de calculismo por parte do praticante. Em resumo, não há qualquer possibilidade de calculismo. Somos, portanto, levados a compreender que no Outro Poder a ausência de nossa intenção é a Intenção de Amida.

"Jinen" significa que, originalmente, a pessoa, antes de perceber, é levada a tornar-se assim. A intenção original do Voto de Amida é fazer com que cada um deposite sua confiança no Namu-amida-butsu sem calculismo e seja recebido na Terra Pura; isto não acontece por meio do calculismo do praticante. Assim, não há julgamento moral por parte do mesmo --- ou seja, se somos bons ou maus. é esse o significado de "jinen" tal como aprendi.

O objetivo do Voto é fazer com que possamos atingir o supremo Estado de Buda. A suprema natureza de Buda é sem forma, e por isso é chamado "jinen". Quando esta é representada em qualquer forma, não se pode chamá-la o supremo Nirvana do Buda. A fim de fazer com que compreendamos que o verdadeiro Buda é sem forma, este passa a ser especificamente denominado Buda Amida; assim foi-me ensinado. é através do Buda Amida que somos levados a vivenciar "jinen". Após compreendermos isso, devemos evitar ficar constantemente falando sobre "jinen". Se ficarmos falando sempre sobre "jinen", repetindo que "a ausência de intenção é a verdadeira intenção", enredamo-nos outra vez na intencionalidade. Assim, a sabedoria do Buda Amida ultrapassa nosso entendimento.

No décimo quarto dia do décimo segundo mês do segundo ano, período Shoka (1258),

quando Shinran tinha 86 anos.


volta para top

Carta 6 - "A Respeito da Morte"
Esta carta escrita por Shinran num ano de devastadora carestia e pestilência, quando contava 88 anos de idade, expressa seus sentimentos a respeito da morte. Consciente de que se aproximava do final de sua vida, ele a escreve como um pai compassivo faria a seus filhos. Esta carta expressa de forma simples que, diante do fato da morte, o conhecimento acadêmico é desnecessário, assim como não são requeridas as virtudes morais. Apenas a Mente Confiante é necessária.É triste saber que tantas pessoas - jovens e idosos, homens e mulheres - têm falecido neste e no ano passado. Mas o Buda ensinou-nos em detalhe a verdade da impermanência da vida, de modo que não devemos ficar chocados com isso. Eu, de minha parte, não dou importância à maneira como morre, se é boa ou ruim. Aquele em que a Mente Confiante está determinada, não tem dúvidas, e portanto vive no Estado Definitivo para o Nascimento. Por esse motivo, o momento da morte - até mesmo para os ignorantes e tolos - é também um momento feliz.

Você tem explicado às pessoas que se atinge o Nascimento através do trabalho do Tathagata; isso é sem dúvida correto. O que tenho dito para vocês todos nesses últimos anos não mudou em nada. Evitemos todo e qualquer debate acadêmico e atinjamos o Nascimento. Lembro-me ter escutado o falecido Mestre Honen dizer, "O seguidores do caminho da Terra Pura atingem o Nascimento ao tornar-se o seu ser ignorante. Além disso, lembro-me de que, ao ver pessoas humildes, sem pretensão intelectual vir visitá-lo, ele dizia sorrindo, "Sem dúvida o Nascimento deles está garantido." E, certamente, ouvi-lo comentar, após a visita de um homem presunçoso mostrando erudição e conhecimento doutrinário, "Eu tenho sérias dúvidas a respeito de seu Nascimento na Terra Pura. Até hoje essas palavras ainda estão presentes na minha memória.

Sem se deixar desencaminhar pelos outros e sem vacilar quanto à Fé, cada um de vocês deve procurar atingir seu Nascimento. Contudo, mesmo mesmo que não seja desencaminhado pelos outros, o praticante sem Fé firmemente enraizada, não vive no Estado Definitivo para o Nascimento e por isso continuará a vaguear. Por favor, transmita o que anotei aqui para os outros seguidores.

Respeitosamente.

No décimo terceiro dia do décimo primeiro mês do primeiro ano,
período Bun'o (1260),


Zenshin (Shinran) aos 88 anos de idade
A Joshin-bo


volta para top

Carta 7 - "O Caminho da Iluminação"
Através do trabalho de Amida, a pessoa de Fé atinge o ápice da espiritualidade, que é explicado pelos termos: Estado da Não-Retrogressão, Estado Definitivo para o Nascimento e Estado Equivalente à Iluminação. Está escrito no Sutra Menor que ela recebe a proteção, assim como o elogio de todos os Budas. Acredita-se que a carta de Shinran à Shinbutsu (carta número 4) foi mostrada à Joshin-bo. Este, por sua vez, escreveu então à Shinran de quem recebeu a carta abaixo em resposta. A carta 15 foi também dirigida à Joshin-bo.Carta enviada por Joshin-bo a Shiran. Ao recitarmos o Nome, atingimos definitivamente o Estado da Não-Retrogressão, pois somos abraçados pela luz compassiva de Amida, o Tathagata da Luz Livre de Impedimentos. Assim sendo, entendo que não há qualquer necessidade de indagar outra vez a respeito de "ser abraçado e jamais abandonado". Ademais, o Sutra da Guirlanda afirma, "Aquele que, ao ouvir esse ensinamento obtém a Fé Alegre e não dúvida, atingirá rapidamente a Suprema Iluminação e é igual a todos os Tathagatas." Além disso, o décimo sétimo voto proclama que o Nome será louvado e recitado por incontáveis Budas nas dez direções. Entendo que na passagem sobre cumprimento deste Voto onde se lê, "Budas nas dez direções, inúmeros como as areias do Ganges" refira-se às pessoas de Fé. Acredito que tais pessoas sejam iguais aos Tathagatas já nesta vida. Mais do que isso, não confio nos desígnios de pessoa ignorante que sou. Gostaria que me instruísse detalhadamente sobre essa questão.

Respeitosamente,

décimo segundo dia do segundo mês,
Joshin


Reposta de Shinran: A respeito de ser igual aos Budas

Nosso Nascimento na Terra Pura não depende em absoluto dos nossos desígnios, mas do Voto do Tathagata; isto é o Outro Poder. Por isso é um absurdo ficar elaborando toda sorte de desígnios.

Deve-se compreender bem que ao se estabilizar a confiança no Voto Original do Tathagata, a pessoa se estabiliza no Estado da Não-Retrogressão, pois ela recebe o benefício de ser abraçada e jamais abandonada por Amida. Tanto o estabilizar da verdadeira Mente Confiante como o firmar da Fé Adamantina se dão através de sermos abraçados e jamais abandonados. A isto chamamos o despertar da mente que aspira à Suprema Iluminação. Este é também chamado de Estado da Não-Retrogressão, Estado Definitivo para o Nascimento e Estado Igual ao da Iluminação. Os Budas das dez direções alegram-se com o fato de que a Mente Confiante se firmou, e elogiam-na dizendo ser esta igual à mente de todos os Budas. Assim, dizemos que a pessoa de verdadeira Mente Confiante é igual aos Budas. Esta é também vista como sendo igual à Maitreya, que se tornará o Buda na sua próxima vida.

Por estar a pessoa de Mente Confiante amparada neste mundo, o Sutra Menor menciona a respeito da proteção dos Budas das dez direções, incontáveis como as areias do Ganges. Isto não significa que eles irão protegê-la após o seu Nascimento na Terra Pura da Paz; pelo contrário, é enquanto está viva neste mundo que eles amparam-na zelando pela sua proteção. Os Tathagatas das dez direções, incontáveis como os grãos de areias do Ganges, exaltam aquele que tem verdadeira Mente Confiante; é ensinado que ele é igual aos Budas. Ademais, Outro Poder significa que a ausência da nossa intenção é a Intenção de Amida. Nossa "intenção" indica os nossos desígnios. O Voto Original do Tathagata, inconcebível, é um desígnio dos Budas, e não dos seres tolos. Nem mesmo Bodhisattva Maitreya, o futuro Buda, poderia sondar a sabedoria dos Budas, a qual ultrapassa o entendimento conceitual. Por isso, disse o grande mestre Honen, "No Voto Original do Tathagata, a ausência da nossa intenção é a Intenção de Amida". Além disso, no meu entender, nada mais é necessário para se atingir o Nascimento na Terra Pura, portanto, o que outros possam dizer não me diz respeito.

volta para top