mp3 Documentos Curso Video mapa
Volta

52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas


→Galeria de foto

O 52º Congresso Sul-Americano de Jovens Budistas foi realizado nos dias 13 e 14 de julho, no Templo de Santo André, com a participação de jovens de Araçatuba, Lins, Presidente Prudente, Marília, Cafelândia, Maringá e Londrina, além de nove escoteiros do Templo de Santo André e dois jovens do Templo de Taubaté, que participaram do evento pela primeira vez. No primeiro dia, após a palestra do Bispo Shun’ei Kajiwara versando sobre o tema da missão sul-americana, “okaguessama”, houve a apresentação de shishimai do grupo dos jovens de Santa Clara que foi bastante aplaudida. Na parte da tarde todos os participantes compareceram à festa de tanabata, realizada no mesmo dia. A palestra do final da tarde foi concedida pelo Rev. Dan Miyuki de uma forma humorística. Ele destacou o papel das senhoras budistas que prepararam todas as refeições servidas durante a realização para aprofundar a compreensão sobre o tema. Ao anoitecer, houve várias apresentações dos participantes, tais como a seção de piano dos irmãos Tamaki de Taubaté, o canto dos escoteiros utilizando copo, e todos eles foram muito aplaudidos. No segundo dia, desde cedo, os participantes foram passear no Parque Estoril de São Bernardo do Campo, cercado de verde e água, e curtiram o zoológico anexo ao parque. À tarde o Sr. Marcos Yamada fez uma demonstração de tênis de mesa, oferecendo a oportunidade aos participantes de praticar de forma divertida. No intervalo entre as programações houve uma atividade de gincana bem planejada, em que os jovens foram divididos em seis grupos e competiram entre si. No final do dia, se apresentou o resultado da competição. Os vitoriosos ganharam prêmios e os derrotados foram obrigados a desenhar com suas nádegas a palavra de “okaguessama”, em meio a uma explosão de risada. O congresso foi realizado graças à colaboração calorosa das senhoras budistas e à organização e administração meticulosas dos escoteiros do Templo de Santo André, seguindo o 50º Congresso sediado três anos atrás pelo Templo Honpa Hongwanji do Brasil, onde não há grupo de jovens como no Templo de Santo André. O evento foi gratificante por ter concedido palestras aos estão desprovidos de oportunidades de ouvir o Dharma e pela programação na qual todos se concentraram. E foi frutífero ouvir as vozes jubilosas e comovidas dos que participaram do evento pela primeira vez. Publicaremos o relatório dos escoteiros do Templo de Santo André na página seguinte.




Jovems do Grupo Escoteiro Hongwanji de Santo André
52º CONGRESSO SUL-AMERICANO DE JOVENS BUDISTAS -

Este52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas foi o meu primeiro congresso; e eu quero participar de outros. Curti muito as palestras e, também, o sensei Miyuki que é muito engraçado e divertido. Todos os participantes são excelentes pessoas e divertidos. Os jogos foram muito animados, e o que mais gostei foi o do “bigode com bola”. A comida estava muito boa, com os pratos preferidos por jovens. O banho foi tranquilo, apesar da quantidade de jovens, tudo ocorreu normalmente e a água estava boa. Nas apresentações por cidades, todas foram ótimas e bem preparadas. Aprendi que “Okaguessama” significa agradecer não somente aqueles que estão ao seu redor; mas, também, aqueles que não estão na sua visão e que influenciam em nossas vidas. Adorei este congresso e espero participar do próximo.
LUCAS HIDEAKI TOMITA, 13 anos

Este52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas superou minhas expectativas. Todos colaboraram com a organização. Das atividades, as que eu mais gostei foram os passeios ao Tanabata Matsuri e Parque Estoril. As refeições preparadas pelo Fujinkai estavam excelentes. Os jogos nos ajudaram a interagir e fazer muitas novas amizades. Os ofícios e a palestra foram bastante legais; apreendi sobre o slogan do congresso “Como pensar em agradecer a Okaguessama?”; principalmente, ao reverendo Dan Miyuki que fez com que o ofício fosse bem engraçado, mesmo não sabendo falar português muito bem. Apesar do pouco tempo, aproveitei cada momento neste que foi o meu primeiro congresso. A experiência foi incrível, e gostaria de participar de mais congressos e me tornar uma jovem budista.
JULIANA NAMI COMESSU 16 anos

Eu acredito que este52º. Congresso Sul-americano de Jovens Budistas foi bastante divertido, as refeições muito sofisticadas quando comparadas aos nossos acampamentos, todas as pessoas muito educadas, os senseis simpáticos e divertidos; principalmente, o Dan Miyuki, cuja palestra foi muito engraçada e não foi cansativa. A palestra do Bispo Kajiwara, na minha opinião, foi importante para aprendermos a origem da palavra “Okaguessama”. As apresentações das cidades foram bem legais, gostei da apresentação de piano do jovem de Taubaté; a nossa apresentação de “Cups” foi bem interessante e melhor do que outras realizadas em nosso grupo escoteiro. As atividades realizadas em equipes serviram para conhecermos os jovens de outras cidades e fazermos novas amizades. O workshop do Shishimai foi divertido e mais difícil do que eu esperava. A palestra realizada pelo treinador de tênis de mesa Marcos Yamada foi bem legal para compreender sua formação no esporte e creio que gerou muito interesse nos jovens para viajar o mundo como ele. O tempo disponível para as atividades livres no Tanabata Matsuri e Parque Estoril foi curto; porém, conseguimos aproveitar bem as atrações disponíveis. No geral, gostei do tema “Okaguessama” que nos ajudou a refletir em agradecer por tudo e não reclamar tanto; além de que, voltamos com muito aprendizado. Aproveitei muito este final de semana e espero ter a oportunidade de participar de outros congressos.
GABRIELE TUDA SHIMABUKURO, 12 anos  

O52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas, foi bastante divertido e produtivo; o tema abordado foi “Okaguessama”, e “Como pensar em agradecer a Okaguessama?”; na qual é um símbolo de agradecer não só as pessoas em nossa volta; mas, também, as coisas que não vemos e que influenciam nossa vida. As atividades realizadas nesse congresso foram divertidas, os jovens foram divididos em equipes e formavam novas amizades. No primeiro dia teve o ofício da tarde de Dan Miyuki; ele explicou sobre o evento do Tanabata, que se trata de escrever um desejo em um papel e pendurar numa árvore; ele explicou, também, sobre a relação entre Okaguessama e esse evento. No segundo dia, fomos em um passeio ao Parque Estoril, visitamos o seu zoológico, vimos e aprendemos sobre vários animais silvestres. Também andamos de teleférico. No final do congresso houve uma assembleia para definir algumas questões e, também. apresentaram os jovens que iriam realizar o intercâmbio no Japão.
FELIPE JUN COMESSU NAKAMURA, 14 anos

Eu achei o 52º. Congresso Sul-americano de Jovens Budistas bastante divertido e com aprendizados. Aprendizados que espero levar para o resto da vida, aprendizados que em algum momento da vida possa me aconselhar em momentos de dificuldades ou de gratidão, onde eu possa agradecer dizendo “Okaguessama”; agradecer sabendo que alguém batalhou para fazer eu conquistar, agradecer mesmo não gostando de um presente ou algo que ganhei; pois “Okaguessama”, ganhei algo. Gostei bastante das novas amizades feitas neste congresso. Agradeço aos senseis que vieram de longe para nos dar mais conhecimentos. “Okaguessama” ao fujinkai que nos forneceram as comidas maravilhas e deliciosas.
EDUARDA KAORI NAKANDAKARI, 12 anos

Neste52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas, realizado no Templo Honpa Hongwanji de Santo André, gostei muito das palestras, principalmente, a do Dan Miyuki que foi bem engraçada e entendi bem. Também gostei muito dos participantes que foram bem legais, simpáticos e participativos. Os jogos foram legais e dinâmicos, especialmente, o do bigode com bola que foi muito divertido. A comida estava muito boa, com uma boa apresentação e muita variedade; com salsicha, batata frita, ... Achei muito legais os dois workshops! Aprendi bastante sobre o Shishimai e como fazer rolamento; no tênis de mesa aprendi várias coisas e, também, como devemos respeitar os mais velhos, sem discutir com eles. Os dois passeios foram bem diferentes e divertidos; andei de teleférico e comprei algumas coisas interessantes.
DIOGO KATO, 16 anos

Neste52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas, eu gostei bastante das atividades realizadas pelos chefes do grupo escoteiro; gostei do workshop do Shishimai e, principalmente, da parte prática realizada por nós. No workshop, nos ensinaram a andar como os mais experientes, e nos ensinaram outros passos. Gostei bastante da palestra do sensei Dan Miyuki porque ele explicou um pouco sobre “Okaguessama” e, também, por ele ser muito engraçado. Gostei bastante de conhecer o Parque Estoril, pois, havia um zoológico e conseguimos ver vários tipos de animais (pássaros, javalis, ...). Andamos de teleférico e foi bastante divertido. O tema “Okaguessama” nos ensina como agradecer. A palestra do Marcos Yamada foi muito interessante; principalmente, pelo ensino de pegadas na raquete, na parte prática, e sobre sua história. Foi bastante divertido tentar acertar os saques do Marcos Yamada. A comida do congresso estava muito gostosa.
DERICK KENJI YANO, 15 anos

Eu gostei muito do 52º Congresso Sul-americano de Jovens Budistas. No começo achei que não iria me enturmar, mas acabei fazendo várias amizades; conheci pessoas incríveis e muito legais, também gostei muito da minha equipe. E eu nem sei explicar o quanto o congresso me fez bem, aprendi várias coisas que eu não sabia.O que eu mais gostei no congresso foi a palestra do sensei Miyuki e quando fomos ao passeio no Tanabata Matsuri, fomos todos cantando e se divertindo juntos; acho que ideia de formar equipes, com jovens de outras cidades, foi muito boa. Adorei o congresso e espero participar de um próximo que tiver.
NATALIA NAOMI OGUSUKO13anos